239828253


 

Dormir de barriga para cima ou de lado são as posições mais correctas

 

O colchão ideal deve ser firme, de acordo com o seu peso e altura, mas de acolhimento macio, para respeitar a forma natural da coluna. Dormir nestas posições elimina pontos de pressão sobre quadris e ombros, tensão entre as vértebras e a zona lombar e facilita a respiração.

Estas são as posições mais recomendadas para evitar distúrbios de sono e dores nas costas.
Se dorme de lado:
  • coloque uma almofada entre os dois joelhos para manter a coluna alinhada
  • posicione o ombro à frente ou atrás do peito para evitar dor e má circulação
Se dorme de barriga para cima:
  • coloque uma almofada por baixo dos joelhos para relaxar os músculos e diminuir a tensão entre as vértebras
  • o joelho ligeiramente levantado permite encaixar o quadril e compensar a pressão na lombar, evitando lombalgias e outros problemas de coluna
  • utilize uma almofada baixa, para não esforçar cabeça nem cervical · Evite dormir de barriga para baixo Embora possa parecer uma posição confortável, dormir de bruços é uma péssima opção para a sua coluna. Além de pressionar excessivamente a região lombar, o pescoço e toda a zona cervical ficam numa posição desconfortável. Dormir nesta posição provoca dores e deformações nas costas e afecta a respiração.

Evite dormir de barriga para baixo

Embora possa parecer uma posição confortável, dormir de bruços é uma péssima opção para a sua coluna. Além de pressionar excessivamente a região lombar, o pescoço e toda a zona cervical ficam numa posição desconfortável. Dormir nesta posição provoca dores e deformações nas costas e afecta a respiração.

 

 

 

 



A relação peso/altura é fundamental

 

  • Um colchão adequado deve garantir uma distribuição uniforme do peso e uma sustentação e adaptação ponto por ponto nas diferentes partes do corpo. É isto que faz dele um verdadeiro colchão ortopédico.
  • Devemos ter sempre em atenção a anatomia do corpo humano, já que o homem tem os ombros mais definidos que a mulher e, por outro lado, a mulher tem a zona do peito e as ancas mais salientes, pontos que podem sofrer mais pressão se não escolher a almofada e o colchão adequados.

Como escolher um colchão de casal?

 

Outro factor importante na escolha do colchão é o facto de ser muito diferente dormir sozinho ou acompanhado. Logo à partida porque os gostos e a anatomia do próprio corpo são diferentes: no caso dos homens, os ombros são os pontos que sofrem mais pressão, no caso das mulheres é no peito e nas ancas que esta pressão é maior.

 

  • Se o casal não partilha do mesmo gosto em termos de conforto e suporte, o ideal é comprar dois colchões diferentes (twin beds), adequados às necessidades de cada um.
  • Se estão de acordo sobre o nível de firmeza e o tipo de colchão a adquirir, então devem ter em conta o peso mais elevado na escolha da firmeza e sustentação do colchão.
  • Para não minimizar os pontos de pressão para o utilizador mais leve, deve optar por um colchão de base e/ou núcleo firme mas com uma superfície de acolhimento adaptável.
  • Outra opção são os colchões de molas ensacadas, uma vez que as molas são independentes, o que minimiza a sensação de movimento.

Como escolher um colchão de solteiro?

 

Embora seja fundamental a relação peso/altura do utilizador, na escolha de um colchão de solteiro é importante levar em conta os hábitos do utilizador. No nosso artigo sobre tipos de colchão poderá descobrir qual o material que melhor responde às suas necessidades e preferências.


O que são colchões ortopédicos?

 

Um colchão ortopédico deve ser todo aquele que se adapte ao biótipo do utilizador, ou seja, à sua relação peso/altura. Assim, como “cada caso é um caso”, não existe apenas um tipo de colchão ortopédico, nem um colchão ideal para pessoas com diferentes hábitos e necessidades. Existem sim colchões com função ortopédica, desde que respeitem e se adaptem a cada utilizador.

 

  • Um colchão ortopédico é mais caro que um colchão normal: um colchão caro não é necessariamente o melhor para si. Não deve prescindir das tecnologias, acabamentos e tratamentos do colchão adequado às suas necessidades. No entanto, na maior parte dos casos o que encarece o produto é a tecnologia utilizada.
  • Um colchão ortopédico dura mais anos: está comprovado que alguns materiais são menos duráveis que outros, como é o caso dos colchões de molas bicónicas ou Bonnel. Os colchões de látex ou viscoelástico têm uma vida útil superior, conforme as suas características e densidade, não por serem ortopédicos mas pela própria natureza dos materiais.
  • Os colchões ortopédicos tratam a maioria dos problemas de coluna: se pensa comprar um colchão para curar os seus problemas de coluna, desengane-se! Um colchão é um importante complemento para ajudar a corrigir problemas posturais se este fornecer um bom apoio à coluna e evitar pontos de pressão.
  • Um verdadeiro colchão ortopédico é rijo sem se sentir a rigidez: até há bem pouco tempo, na área da saúde, defendia-se que o conceito ideal era “quanto mais rijo melhor”. Hoje os estudos comprovam que o colchão deve ser firme quanto baste, mas acima de tudo tem de adaptar-se ao biótipo (relação peso/altura) e fisionomia de cada utilizador.



Nome: